Vingadores: Guerra Infinita – Diretores defendem Senhor das Estrelas após sua fúria contra Thanos!

Se não fosse Senhor das Estrelas, os heróis teriam conseguido arrancar a manopla de Thanos!

Em Vingadores: Guerra Infinita, Vimos que quase os heróis tiveram êxito contra Thanos ao imobilizarem o vilão e quase tirarem a manopla do infinito de suas mãos. Só não conseguiram por causa da fúria de Star Lord, ao saber que Gamora foi assassinada pelo Titã, ocorrendo, logo em seguida, a derrota da equipe liderada pelo Homem de Ferro. Por isso, o público despejou toda a culpa em Peter Quill, mas os diretores do filme defenderam o herói.

Em uma entrevista ao Entertainment Tonight, Joe e Anthony Russo começaram a apresentar seus argumentos em defesa do guardião da galáxia: Quero dizer, olha, ele é um personagem que passou por muita dor. Ele perdeu muitas pessoas em sua vida. Foi sequestrado por piratas quando tinha 10 anos, criado por piratas, perdeu sua mãe, teve que matar seu pai, e no filme, o amor da vida dele é tirado dele. Então, se você não consegue entender alguém fazer uma escolha humana como essa, eu não sei se você entende a humanidade muito bem. Mas ele é um personagem com falhas, e é isso que é tão interessante nele. Aquele momento foi verdadeiramente emocionante, e eu acho que é por isso que nós trouxemos aquela cena, e é por isso que amamos ela como um ponto narrativo, porque fez [Peter Quill] bastante vulnerável.”

Anthony Russo até comparou Quill com os outros heróis do filme: “Mas sabe, existem várias escolhas que os personagem fizeram ao longo do filme que meio que levam eles a perder. Não foi um simples momento. Se você voltar para o fim de Guerra Civil, toda essa separação entre o Capitão e Tony é meio que a base para eles perderem nesse filme [Guerra Infinita] […] Thor avança contra Thanos no final do filme, mas ao invés de matá-lo rapidamente ele meio que faz isso de uma maneira que ele pode encontrar sua vingança, atacando ele de uma maneira que cria um caminho pra ele vencer. É isso que amamos nesses personagens – eles são super-heróis, eles possuem poderes incríveis, mas o que faz deles vulnerável é a vida emocional deles e suas necessidades emocionais, e é ai que as coisas ficam complicadas e nós temos uma história bem rica.”

Joe Russo terminou a defesa, pedindo para que o público tente entendê-lo: “E eu acho que é importante ter empatia na vida, assim como é importante ter empatia por esses personagens. Para nós, fazer essas coisas desafiadores e falhas com esses personagens é uma maneira de provar que a noção de empatia é essencial para viver a vida de verdade.”

Será que com esses argumentos, o público irá “perdoar” Peter Quill pela derrota contra Thanos?

(Visited 121 times, 1 visits today)